A Tecnologia e a Mudança

calvin tec 

    A tecnologia deveria ser uma ferramenta de evolução do Homem. Mas acontece que depositamos nela parte do controlo da nossa vida. Quer seja a televisão, quer seja o computador ou o telémovel. Como é que rapidamente o que não existia passa a ser fundamental passado uns anos? A necessidade já existia ou foi criada depois? Será um dilema do ovo e a galinha? Assustador é o facto de vivermos em função da tecnologia e não contrário. Aquilo que criamos deveria ser útil na sua função e libertar o Homem para outras tarefas, as tais que ‘inexplicavalmente’ não temos tempo.

Convém, então, mudar de perspectiva perante a tecnologia que usamos. Ser escravo e dependente de algo como a tecnologia é absurdo, e talvez uma falta de respeito pela nossa capacidade mental.

Mercado de trabalho

Porque é que um tipo muito bem qualificado tem que ficar na miséria porque existem apenas lugares para excelentes? Se a Sociedade promove modelos em que tem bom emprego quem for excelente, terá que arranjar forma que quem fica de fora (uma questão numérica) não tenha uma vida miserável. Se a Sociedade evolui tecnologicamente dispensando trabalho manual, terá que cuidar da qualidade de vida de quem fica desactivo. Se a Sociedade escolhe abandonar sectores de actividade económica terá que suportar os custos de adaptação.
O trabalhador não é como um outro qualquer factor de produção.

As regras de mercado não funcionam. Numa altura em que os apoios sociais vão diminuindo, e a pressão do desgaste da qualidade de vida cresce todos os dias seria bom parar e reflectir.

Creio que não existe capacidade de mudança para reagir neste momento. Certamente as condições ir-se-ão degradar até atingir um limite e aí sim haverá condições para mudar.

No entanto acredito que se possa começar a fazer um trabalho de preparação.

“Temos de nos tornar a mudança que queremos ver no mundo”

Mahatma Gandhi 

Certamente que existem empresários no nosso país que perspectivam as suas actividades económicas em objectivos além do lucro, da eficiência e eficácia.
Certamente que o Estado (sendo que é um organismo esquisito porque nós é que o somos) pode e deve fazer ainda mil e uma coisas, impondo ou incentivando.
Certamente que se deveria apostar em mudança de mentalidades, de organização estrutural começando logo por transmitir isso às gerações mais novas.

Mas como indivíduos podemos fazer? Ora se me tornar empresário poderei ser actor directo na mudança. Mas se não for? Movimento de cidadania?!! Parece-me bem!
Alguém alinha?!!
Mesmo criando um movimento ou associação falta conceber o essencial: linhas de acção!!! O que realmente fazer?
Alguém tem sugestões?

Instrumento de mudança

Ontem na RTP ainda apanhei parte do último episódio de uma suposta mini-série ‘Francisco e Clara’ sobre a vida de Francisco de Assis e Clara de Assis. Exemplos de uma vida de transformação espiritual.

Lembrei-me de colocar no blogue uma oração que pensava eu ter sido escrito por São Francisco mas que pelos vistos foi associada a ele. De qualquer maneira acho-a extremamente bonita, profunda e reveladora de grande transformação.

Senhor:
Fazei de mim um instrumento de vossa Paz!
Onde houver Ódio, que eu leve o Amor,
Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.
Onde houver Discórdia, que eu leve a União.
Onde houver Dúvida, que eu leve a Fé.
Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.
Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.
Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.
Onde houver Trevas, que eu leve a Luz!
Ó Mestre,
fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando, que se recebe.
Perdoando, que se é perdoado e
é morrendo, que se vive para a vida eterna!
Amém

PAZ Cat Stevens & John Lennon

 

PEACE TRAIN 

Now I’ve been happy lately, thinking about the good things to come
And I believe it could be, something good has begun
 
Oh I’ve been smiling lately, dreaming about the world as one
And I believe it could be, some day it’s going to come
 
Cause out on the edge of darkness, there rides a peace train
Oh peace train take this country, come take me home again
 
Now I’ve been smiling lately, thinking about the good things to come
And I believe it could be, something good has begun
 
Oh peace train sounding louder
Glide on the peace train
Come on now peace train
Yes, peace train holy roller
 
Everyone jump upon the peace train
Come on now peace train
 
Get your bags together, go bring your good friends too
Cause it’s getting nearer, it soon will be with you
 
Now come and join the living, it’s not so far from you
And it’s getting nearer, soon it will all be true
 
Now I’ve been crying lately, thinking about the world as it is
Why must we go on hating, why can’t we live in bliss
 
Cause out on the edge of darkness, there rides a peace train
Oh peace train take this country, come take me home again

 

GIVE PEACE A CHANCE 

Ev’rybody’s talking about
Bagism, Shagism, Dragism, Madism, Ragism, Tagism
This-ism, that-ism
Isn’t it the most
All we are saying is give peace a chance
All we are saying is give peace a chance
Ev’rybody’s talking about
Ministers, Sinisters, Banisters and canisters,
Bishops and Fishops and Rabbis and Pop eyes,
And bye bye, bye byes.
All we are saying is give peace a chance
All we are saying is give peace a chance
Let me tell you now
Ev’rybody’s talking about
Revolution, Evolution, Mastication, Flagelolation, Regulations.
Integrations, Meditations, United Nations, Congratulations
All we are saying is give peace a chance
All we are saying is give peace a chance

Oh Let’s stick to it
Ev’rybody’s talking about
John and Yoko, Timmy Leary, Rosemary, Tommy smothers, Bob Dylan,
Tommy Cooper, Derek Tayor, Norman Mailer, Alan Ginsberg, Hare Krishna,
Hare Krishna
All we are saying is give peace a chance
All we are saying is give peace a chance

Desiderata

Este texto é de Max Ehrmann e esta tradução é de Padre António Maria Cabral. Um texto que me encontrou há uns anos e que há pouco tempo redescobri.

DESIDERATA

Caminha pacificamente por entre o ruído e a pressa; lembra-te da paz que pode haver no silêncio. Tanto quanto puderes, e sem transigências, vive em harmonia com todas as pessoas. Diz o que pensas serena e limpidamente, e escuta os outros, mesmo os banais e os ignorantes; também eles têm uma palavra a dizer. Evita os barulhentos e os agressivos, porque são uma tortura para o espírito.

Se te comparares com os outros, podes tornar-te vaidoso e amargo, pois sempre haverá pessoas maiores e menores que tu. Goza os teus triunfos e os teus projectos. Interessa-te pela tua vida, por mais humilde que seja; é um bem autêntico, apesar das mudanças e dos tempos.

Tem cautela nos negócios, porque o mundo está cheio de perigos. Mas não deixes que isso te cegue em relação ao bem que existe. Muitas pessoas lutam por ideais elevados, e em toda a parte a vida está cheia de heroísmos. Sê quem és. Especialmente não aparentes afeições que não sintas. E também não sejas cínico quanto ao amor; não obstante a aridez e o desencanto, o amor é perene com a relva.

Aceita docemente o conselho dos anos, abdicando de boa vontade das coisas da juventude. Cultiva a força do espírito, para te proteger de súbitas desgraças. Mas não te tortures com imaginações. Muitos medos nascem do cansaço e do aborrecimento.

Para além duma íntegra disciplina, trata-te bem a ti mesmo. És filho do universo, como as árvores e as estrelas. E quer o vejas claramente ou não, o universo evolui como deve.

Por tudo isto, vive em paz com Deus, seja qual for a ideia que d’Ele tenhas. E quaisquer que sejam as tuas lutas e aspirações na ruidosa confusão da vida, permanece em paz com a tua alma. Com todos os equívocos e incómodos, continua a ser um mundo muito bonito. Alegra-te. Esforça-te por ser feliz.

O que acharam? apenas bonito?  não haverá aqui algumas ideias interessantes,  libertadoras?!! penso que também se manifesta a ideia de que está na pessoa ao poder e a responsabilidade de mudar as coisas.