Espírito Olímpico

Desconheço a plenitude do espírito olímpico. Também desconheço a plenitude do espírito do atleta olímpico.

 

Penso que uma parte dele será o da dedicação de corpo e alma a um determinado objectivo que se traduz na execução de uma tarefa desportiva.

 

Existe a preparação física, emocional, mental e espiritual que combina bem com a atitude de alta competição.

 

Fez-me pensar que traduzindo esse ambiente para as nossas vidas seria interessante interrogarmo-nos se temos esse espírito olímpico nas nossas vidas. (se é que é benéfico!!??)

 

Será que nos esforçamos para a medalha de ouro?

 

Será que nas modalidades praticadas em grupo fazemos o nosso melhor?

 

Que objectivos/metas traçamos para as ‘nossas’ provas olímpicas? Serão realistas? Será que chegamos estabelecê-las?

 

Proposta de mudança: trabalhar a excelência olímpica na nossa vida.

 

rascunhos de pensamento

ultimos rascunhos:

– extremamente dificil dar sem esperar receber, nem que seja uma palavra ou sorriso de agradecimento.

– entramos numa casa sem no entanto questionarmos quem a fez, e de que forma a construiu e sob que fórmulas matemáticas, e leis de fisica, etc… que desconhecemos. entramos calmamente com uma certeza da solidez da casa, uma certeza que não é baseada em verificações, em provas visiveis. não será isto semelhante ao sentimento de fé?!  

– quem é que conseque sentir o pulso da Terra?  como?

– a ordem estabelecida da sociedade é contraria à naturalidade. porque é que a nossa organização colectiva difere do que é o natural?